Notícias
Todos os assuntos
“A agricultura de precisão nos proporciona muitas coisas, mas não substitui a dedicação”
25.09.2019

“A agricultura de precisão nos proporciona muitas coisas, mas não substitui a dedicação”

Após uma perda familiar, Luciane Rheinheimer, viu a necessidade de dar continuidade aos trabalhos da propriedade, e para isso, buscou qualificação por meio da graduação em Agronomia. Hoje, já faz 23 anos que se dedica à atividade, em uma área de 500 hectares, onde são cultivados produtos como soja, milho, trigo e aveia. Ao longo dos anos muitas mudanças aconteceram, e o setor precisou se adaptar. Com Luciane não foi diferente.

Na propriedade ela tem apostado na agricultura digital e plantio direto, com a diversificação de culturas. Em 2013,fez uma correção geral da área cultivada, por meio do uso da taxa variável, e em 2015 inovou com o uso de imagens NDVI, as quais permitem maior consciência do desempenho da área. Por meio dessas captações e com análise de solo,na cobertura de inverno deste ano, por exemplo, resolveu apostar na adubação nitrogenada, com o objetivo de fortalecer o sistema de plantio direto.

Para dar conta dessas novas tecnologias,a capacitação é fundamental, e para isso a produtora buscou ajuda do Sindicato Rural de Carazinho, onde contou com o apoio de um consultor.  “O que a gente sente é que a equipe fica mais comprometida, mais motivada e focada”, destaca Luciane. O conhecimento tem sido cada vez mais o combustível para o crescimento da propriedade. “Hoje tu ter um software e perder muito tempo nele causa um desgaste, desmotiva”, conclui.

De acordo com a produtora, novas tecnologias exigem investimento, porém sem ele não há aumento de produtividade. “A prova de que vale a pena, são os resultados obtidos nos últimos dois anos, quando a produção aumentou em 35%”, cita, destacando, porém,que “a agricultura de precisão nos proporciona muitas coisas, mas não substitui a dedicação”.

 

 

Receba nossas
novidades por e-mail